Cabeçalho - TR Soluções
LANÇAMENTO OFICIAL DO MÓDULO DE TARIFAS

O MÓDULO DE TARIFAS chega ao mercado como uma ferramenta de apoio à definição de estratégias voltadas à elaboração de novos algoritmos de preços.
Este módulo permite ainda que o usuário anteveja as tarifas de aplicação resultantes de novas políticas tarifárias. A expectativa futura dos novos valores tarifários também pode ser utilizada como parâmetro de explicação das faturas e, consequentemente, dos reajustes tarifários subsequentes.

Conheça o Módulo Tarifa

Logotipo SIT
ELABORE CENÁRIOS DE EVOLUÇÃO
Elabore cenários

O MÓDULO DE TARIFAS permite que sejam realizadas diversas simulações utilizando a quantidade desejada de cenários Estas simulações também podem ser definidas para diversos universos de consumo a serem analisados. O usuário pode definir qual, quanto, quando e como cada elemento de custo que compõe a receita de uma distribuidora será alocado entre os diversos grupos e subgrupos de mercado.

PROJETE OS REAJUSTES TARIFÁRIOS

A integração do MÓDULO DE TARIFAS com o MÓDULO DE REAJUSTE permite a quantificação temporal do impacto da implementação de novas políticas tarifárias. Com a utilização do MÓDULO DE TARIFAS o usuário pode, por exemplo, avaliar como seriam as novas tarifas finais de equilíbrio econômico de uma distribuidora se novos algoritmos de preços fossem estabelecidos.

Conheça o Módulo de Tarifas

Projete reajuste
CONFIRA NO SIT O IMPACTO DESTA DECISÃO
Projete reajuste

Edison Lobão, ministro de Minas e Energia, informou que o governo federal deverá extinguir pelo menos três encargos setoriais que oneram a tarifa de energia elétrica. Dentre os encargos estão a Conta de Consumo de Combustíveis - CCC, a Reserva Global de Reversão - RGR e a Conta de Desenvolvimento Energético - CDE. Com a redução destes encargos, em média, a tarifa de energia elétrica se tornará aproximadamente 10% menor. Para uma distribuidora específica e para a sua modalidade e subgrupo tarifário, verifique qual deverá ser o impacto da extinção desses encargos.

Veja a notícia na integra no Jornal Estadão

ACOMPANHE-NOS NAS REDES SOCIAIS:

Acompanhe-nos no TWITTER Acompanhe-nos no FACEBOOK Acompanhe-nos no YOUTUBE
Acompanhe-nos no TWITTER